terça-feira, 29 de março de 2011

A TEMPESTADE QUE ANTECEDE A DESCOBERTA

Quando descobri a possibilidade de ter TDAH

Viver sua vida dentro de você mesmo, dentro da sua cabeça. Sua abstração sempre parece muito mais profunda do que a dos outros. Às vezes penso que vivo num mundo paralelo onde as coisas que fazem sentido para mim, podem ser apenas uma grande tempestade dentro de uma pequena caixa de metal ou qualquer outro objeto opaco, onde as pessoas não conseguem medir a grande destruição do que está lá dentro. Foi assim que eu me descobri , depois de guardar várias tempestades dentro dessa caixa de metal. Algo se rompeu lá dentro e eu tive que fazer a seguinte escolha : Perder todo o conteúdo que estava nela e deixá-la vazia ou procurar saber de onde vinha essa tempestade . Durante muito tempo, me vi fazendo vista grossa para o que eu sentia, e perdi um pouco o conteúdo dessa caixa. Até quando chegou o dia em que não pude mais evitar sua essência ,  tive a primeira grande crise histérica da minha vida e comecei a me ver no meio de antidepressivos , psiquiatra, psicólogo e uma infinidade de palavras que sempre tentei evitar. Comecei a fazer terapia e tenho um diagnóstico de transtorno de déficit de atenção e hiperatividade e me identifico bastante com tudo que já li e ouvi sobre ele. Agora , pelo menos, tenho alguma direção em relação à tempestade , pois os portadores desse transtorno vivem numa montanha russa de sentimentos e pensamentos , e muitos deles guardam tudo isso dentro de uma caixa de metal apertada prestes a se romper.

4 comentários:

  1. Muitos TDAH's adultos só procuram ajuda quando já estão com problemas de depressão, TOC, Transtorno bipolar, alcolismo ou drogas , problemas que podem ocorrer com a falta de diagnóstico. O que muitas vezes acontece é, nesses casos, só tratarem da consequencia e não da causa do problema.

    ResponderExcluir
  2. Meu Deus, estou nessa fase, minha caixa acaba de se romper.

    ResponderExcluir
  3. Boa sorte na sua jornada, Maria Eduarda. Procure ajuda, tente se adaptar e se precisar: Grite.
    Um abç, Alice.

    ResponderExcluir
  4. descobri recentemente ser portadora desse transtorno, e posso dizer que aconteceu tal e qual vc descreveu. tenho medo do que virá, mas pensar nisso também é uma "essência" do TDAH. Devemos fazer as coisas dentro do nosso tempo, dentro das nossas capacidades, as palavras são: força de vontade e persistência.

    ResponderExcluir